"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver” Amyr Klink

domingo, 12 de julho de 2009

Brusque - SC

Saída: 12/07/2009 - 15h00
Chegada: 12/07/2009 - 17h50
Roteiro: Blumenau - Brusque - Blumenau
Distância: 105km
Moto: Suzuki Boulevard M800
Comentários: Depois de alguns dias bem feios, esse domingo amanheceu com céu azul, sem nuvens, muito frio.
Pelas 15h eu e Dion resolvemos brindar o dia com as M800 e fomos dar um passeio bem rápido pela cidade de Brusque. O objetivo era tomar um café num lugar muito legal na serrinha que liga Brusque a Nova Trento, mas chegando lá estava fechado, não abre aos domingo.
Voltamos antes das 18h quase congelados para variar.

Essa foi tirada hoje, na fábrica de tecidos Renaux, no prédio antigo. A fábrica existe desde 1892.
Na moto o Dion.

domingo, 5 de julho de 2009

PR - Antonina

Saída: 04/07/2009 - 08h30
Chegada: 04/07/2009 - 21h00
Roteiro: Blumenau - Antonina - Blumenau
Caminho: Google Map
Distância: 530km
Moto: Suzuki Boulevard M800
Comentários: 8h30 saímos atrasados, a moto do Dion estava com cabo de velas solto e ele passou na mecânica antes.
Partimos com tempo bom, um pouco frio, Dion, Eu e Milene, Mauro e Joana. Tocamos por Guaramirim até São José dos Pinhais com sol e pista seca, onde encontramos os amigos do BOG PR. Aguardamos o atrasado João Piava. Com tantos atrasos saímos do posto somente as 12h e fomos em direção a Serra da Graciosa.
Em março/09 para Morretes fomos pelo litoral e subimos a serra, dessa vez descemos e voltamos pelo litoral. Descer a vista é mais bonita, gostamos mais.
Paramos no mirante principal em cima da serra onde a vista é linda, podendo se ver a baía de Antonina e Paranaguá. Continuamos viagem como estomago colando nas costas.
Ainda paramos na ponte de ferro sobre o rio São João.
Chegamos em Antonina já perto das 14h e fomos direto ao restaurante. Aí a coisa complicou, quase uma hora para vir a comida !!! Muito gostosa, mas cara. Duas 1/2 porções para eu e Milene saíram R$ 90,00.
Saímos do restaurante e tiramos algumas fotos rápidas e fomos embora, pois já eram 16h30, e no inverno 18h já é noite. Quando chegamos na balsa de Guaratuba pegamos o pôr do sol. Ligamos para o Ralf e ele estava do outro lado da travessia nos esperando para voltar junto. Escureceu e o frio veio junto. Paramos no Rudnick para tomar um café da tarde e depois voltamos com um lindo seu estrelado, e frio, muito frio !!!