"Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser; que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver” Amyr Klink

segunda-feira, 1 de janeiro de 2001

Próximas Viagens






Ainda pensando...

São tantas viagens na cabeça.

- Nordeste - Dos 26 Estados + 01 DF brasileiros, fiz 11 mais o DF. Tenho um roteiro montado que passaria pelos estados do nordeste e alguns do Norte. A ideia é subir pelo litoral até Belém PA e depois descer passando pelo Tocantins. Assim faria mais 12 Estados. Ficariam AM, RR e AP que é bem mais complicado de chegar com moto grande. Esses minha ideia é alugar ou comprar uma moto menor com pneus apropriados por lá e fazer o trecho.

- Alpes, Europa e vizinhos - Uma viagem grande para a patagônia por exemplo necessita de mais de 20 dias para ser bem feita. Sendo que 10mil km é só deslocamento até a parte boa da viagem. O custo envolvido (tempo, hospedagem, alimentação, deslocamento) é bem parecido com o custo de ficar uma semana com moto alugada na Europa. Muita coisa pra ver em deslocamentos curtos e muito bem estruturados.

Quem Somos

Eu, Pietro Paladini, 40então, empresário, formado em Ciências da Computação e pós-graduado em Gestão Empresarial e Gestão de Factoring. Ela, Milene Paladini, 40tinha, empresária contadora pós-graduada. Juntos desde os 16 anos sempre gostamos de viajar muito, para qualquer lugar e de qualquer jeito. Falta de dinheiro, trabalho, estudos, depois os filhos pequenos não nos deram muitas opções e nem tempo para conhecer tudo que gostaríamos.

Em 2007 resolvi aprender a andar de moto, e comecei a fazer pequenos passeios por perto, eta cachaça que viciou rápido. Aproveitando que as crianças já estavam maiores eu e a Mi começamos a paixão do mototurismo, inicialmente por perto, depois mais longe e mais longe...

Minha primeira moto foi uma Honda Twister 250cc, nela que aprendi e fiz as pequenas viagens pela região de SC. A foto abaixo foi do primeiro passeio que a Mi fez comigo de moto, até Floripa. Por uma sacanagem do google maps retornamos por terra, com direito a tombo e tudo (moto parada), achei que ela nunca mais subiria na minha garupa... engano, gostou, curtiu, pediu mais, inclusive a moto maior hehe


Como quem manda é a patroa, lá fui escolher a nova moto, com a intenção de começar a viajar mais longe. Assim acabei adquirindo uma Suzuki Boulevard M800, moto fantástica, tenho saudades dela.


Nessa moto fiz a primeira grande viagem, em 2009 para Uruguai e Argentina (Buenos Aires)
Depois fui para uma Suzuki Boulevard C1500, grande, gorda, forte e confortável, Atacama foi sua maior andança.


BMW F800GS, mudança bem radical mas justificada pela ideia de desbravar novos terrenos. Foi até o Ushuaia, depois a Machu Picchu. 45mil km boas estradas e outras péssimas que era onde ela adorava entrar. Rodei muitas estradas em SC que só é possível com uma trail.


Agora entrou uma nova branca na história, R1200GS LC



Conhecemos muitos amigos novos com o motociclismo, alguns bem especiais, com esses formamos um grupo denominado Soy Loco. Antes era Soy Loco por ti America, mas como já temos planos de viajar fora da América, então ficou somente Soy Loco. Já fomos juntos ao Atacama, Ushuaia, Cerrado brasileiro e Machu Picchu. Que venham as novas viagens!